Entre o ser e o nada | Jonathan Silveira

Ainda não sei como e por que eu vim parar aqui.

Por quanto tempo inexisti?

Por que eu, em vez de outro?

Por que algo, em vez de nada?

 

Um dia quis experimentar a sensação de nada ser.

Aí, vagando entre o ser e o nada, adormeci.

Ao despertar, sabia que eu não havia sido – para onde eu teria ido?

Mas eu não soube dizer se isso era motivo de dor ou de prazer.

 

A única coisa que eu era capaz de saber

Era que eu havia perdido a sensação de nada ser.

Aí, me dei conta de que no nada não pode haver sensação.

Aí, me dei conta de que só quem é pode sentir.

 

Assim, eu sou em cada despertar e não sou em todos os sonos.

A cada manhã, sou criado;

A cada noite, não-criado.

Em cada despertar, sei que não fui, e não sei que não sou em cada sono.

 

E o que é o sono, então, senão a manifestação do ser pelo não-ser?

 

Parece que Deus nos agraciou também com a inexistência temporária por meio do sono.

Para que temporariamente não sejamos aos sofrimentos.

E para que um ser mais forte e renovado milagrosamente nasça a cada manhã.

Para que, assim, o choro dure apenas uma noite e a alegria venha ao amanhecer.

Jonathan Silveira é graduado em Direito pela Universidade São Francisco e mestre em Teologia pelo programa Master of Divinity da Escola de Pastores da Primeira Igreja Batista de Atibaia. É membro na Igreja Batista da Palavra, em São Paulo, trabalha na área de produção editorial e marketing em Edições Vida Nova e é fundador e editor do site Tuporém.