Epistemologia reformada | Alvin Plantinga

A crença na existência de Deus depende exclusivamente de argumentos e evidências? Para filósofos da epistemologia reformada como Alvin Plantinga, a crença em Deus é apropriadamente básica, mantendo-se racional independentemente de evidências. Confira o vídeo.

Legendado e traduzido por Jonathan Silveira e revisado por Carrie Myatt.

Vídeo original: Reformed Epistemology. plantingavideos.com

Alvin PlantingaAlvin Plantinga é doutor em filosofia pela Universidade Yale. Ocupou por trinta anos a cátedra John A. O’Brien de Filosofia na University of Notre Dame, nos Estados Unidos, e foi professor da cátedra Jellema de Filosofia na Calvin College. Foi presidente da American Philosophical Association e da Society of Christian Philosophers. Aclamado como um dos mais importantes filósofos analíticos da atualidade, foi laureado em 2017 com o prêmio Templeton em reconhecimento por seu rigoroso trabalho em epistemologia, metafísica e filosofia da religião. É autor de vários livros, entre eles 'Ciência, religião e naturalismo: onde está o conflito?', 'Conhecimento de Deus' e 'Deus, a liberdade e o mal', publicados por Vida Nova.

A crença cristã é intelectualmente aceitável? É aceitável para pessoas inteligentes nos dias de hoje, no início do terceiro milênio? Alvin Plantinga aborda essas questões examinando se é racional, razoável, justificável e, em última análise, avalizado aceitar a crença cristã. Afirma que as crenças cristãs são avalizadas por serem formadas por faculdades cognitivas que funcionam apropriadamente. Desse modo, se forem verdadeiras, elas constituem o conhecimento.

Plantinga argumenta que é plausível crer que os seres humanos não têm apenas faculdades cognitivas naturais, como percepção, memória e raciocínio, as quais nos permitem conhecer os fatos sobre o objeto, mas também detemos uma faculdade cognitiva natural que nos permite formar crenças básicas sobre Deus. Para levar os crentes a produzir crenças cristãs avalizadas, o autor mostra como essa faculdade pode ser embotada e danificada pelo pecado, mas também reparada pela fé. Ele passa depois a explorar uma proposta, comum a Tomás de Aquino e a Calvino, de que a crença cristã se origina de uma fonte não natural, que Aquino chamou de “instigação interna do Espírito Santo” e Calvino classifica como “testemunho interno do Espírito Santo”.

Crença cristã avalizada, obra de um academicismo impecável e produzida por um dos principais epistemólogos da atualidade, desafiará e envolverá filósofos, bem como acadêmicos da área dos estudos religiosos.

Publicado por Vida Nova.
Leia também  15 citações do livro "Deus na era secular" que você não pode deixar de ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *